Conheça o Apóstolo e Padroeiro do Brasil

em 9 de junho de 2019 por MAGIS Brasil

Um jovem europeu que, com apenas 19 anos, corajosamente aceita ser enviado ao novo mundo, ao Brasil.

Era tão grande a alegria que ele sentia, era tão grande o seu júbilo, que fundou uma Nação: lançou os fundamentos culturais de uma Nação em Jesus Cristo. Não estudou teologia, também não estudou filosofia, era um jovem! No entanto, sentiu sobre si mesmo o olhar de Jesus Cristo e deixou-se encher de alegria, escolhendo a luz. Esta foi e é a sua santidade. Ele não teve medo da alegria(Trecho da Homilia do Papa Francisco na Missa de Ação de Graças pela Canonização de São José de Anchieta, em 24 de abril de 2014, na Igreja Santo Inácio em Roma).

José de Anchieta nasceu nas Ilhas Canárias no dia 19 de março de 1534 e desde de sua infância já dedicava sua vida à oração e ajudar ao próximo. Ainda muito jovem foi estudar no Colégio das Artes em Coimbra, onde se destacou no aprendizado da poesia latina. Pouco tempo depois, conheceu a recém formada Companhia de Jesus e logo se identificou com seus ideais. Sendo assim, no dia 1º de maio de 1551 ingressou na ordem, com apenas 17 anos.

Em 1553 foi enviado ao Brasil como missionário e para cuidar de sua delicada saúde. Quando os padres chegavam às suas aldeias, enfrentavam certa resistência dos povos nativos. É nesse momento que o então noviço Anchieta se viu perante o desafio de estabelecer uma relação diferenciada com os povos que habitavam essas terras. Ele começou a ganhar a confiança a partir do momento que foi aprendendo a língua Tupi e assim foi se inserindo naquela realidade de maneira mais próxima.

Com o auxílio de um Cacique construiu uma tenda que era utilizada, entre outras coisas, como a primeira escola. Em 25 de janeiro de 1554, realizaram uma celebração eucarística de inauguração do colégio dos jesuítas, que recebeu o nome de Colégio de São Paulo em homenagem ao apóstolo. As pessoas começaram a viver entorno dessa escola e anos mais tarde fundou-se a cidade de São Paulo.

A Companhia de Jesus no Brasil é um anel de ouro e o padre José de Anchieta é a sua pérola preciosa
Dom Pedro Leitão, 2˚ Bispo do Brasil e amigo desde a adolescência de Anchieta.

Auxiliado pelos curumins, seus primeiros tradutores, e tendo a facilidade de aprender novas línguas, escreveu uma gramática do Tupi, a língua mais falada no Brasil. Desta forma pôde traduzir o catecismo e o evangelho para esta língua. Em 22 de agosto de 1566 foi ordenado sacerdote na Bahia e em 1577 foi destinado a ser o Provincial do Brasil.

Na manhã de 03 de abril de 2014, José de Anchieta foi declarado santo. Ao assinar o decreto de canonização do jesuíta, o Papa Francisco concluiu um processo que persistiu por mais de 400 anos, iniciado com a morte do religioso no século XVI e que este ano completa 05 anos de canonização. Na época, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) nomeou Anchieta, o poeta da Virgem Maria, como Padroeiro do Brasil, junto com Nossa Senhora Aparecida.

Como patrimônio histórico, cultural e religioso, existe hoje o Santuário Nacional de Anchieta, um grande centro evangelizador, confiado à Companhia de Jesus. Localizado em Anchieta (ES), na cidade que homenageia o Apóstolo do Brasil, a construção jesuítica foi erguida durante a época do Brasil Colônia, entre meados do século XV e início do século XVI. O complexo abriga o Museu Padre Anchieta, e a Sede da Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, confiada aos jesuítas pela Mitra Arquidiocesana de Vitória.

Atualmente a devoção à São José de Anchieta é muito viva em diversos lugares do mundo. Seu estilo de vida, um jovem que doou toda sua vida a serviço dos demais, encanta e inspira milhões de pessoas até hoje. Peçamos a Anchieta sua intercessão para que sejamos mulheres e homens apaixonados pelo reino e por nossa missão. São José de Anchieta, rogai por nós!

Abaixo você encontra um Momento de Oração inspirado na vida e missão de José de Anchieta.

 

Momento de Oração

“A disposição corporal é fraca, mas esta basta, com a força da graça, que da parte do Senhor não faltará”
(Da Carta do Padre José de Anchieta ao Padre Inácio de Tolosa – Reritiba/Anchieta, 1595).

A doença de José de Anchieta nunca o impediu de realizar a missão que Deus lhe confiara, tampouco de realizar um de seus maiores sonhos: ser missionário em outros povos. Assim como os primeiros discípulos, Jesus chama pessoas com limitações, dificuldades e pecados. Por meio da fragilidade do mundo, o Senhor deseja manifestar as obras de Deus. Não apenas isso. A missão é o lugar teológico onde nos curamos (libertamos) de todas as nossas enfermidades, tal como aconteceu com José de Anchieta. Nesse momento de oração, traga presente eventuais enfermidades, físicas ou psíquicas, que podem lhe afligir no discernimento da sua vida.

Pedido de Graça: Senhor, fazei com que todas as minhas dificuldades virem potencialidades para minha vida e oportunidades de me aproximar de Ti.

Texto Bíblico: Jo 9, 1-7

Provocações:
– Possuo alguma enfermidade física ou psíquica que me dificulta seguir a Deus? Qual(is)?
– Levando em consideração que “tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8, 28), como me posiciono diante dessa(s) dificuldade(s) no que diz respeito à minha vocação?
– Tenho consciência, em meu íntimo, de que Deus me chama apesar e por meio de minhas dificuldades físicas ou psíquicas e de que Ele chama para viver a alegria do Evangelho?

Compartilhar
Twittar
+1