O escravo dos escravos

em 9 de setembro de 2019 por MAGIS Brasil

O título desta matéria é o modo como o próprio São Pedro Claver, sacerdote jesuíta, referia-se a si mesmo. Na data de hoje, 09 de setembro, completa-se 365 anos que ele contempla a face de Deus. Seu testemunho de vida e sua missão, porém, seguem sendo extremamente atuais e necessários.

Filho de pais camponeses, Pedro Claver nasceu em Verdú, Espanha, em 26 de junho do ano de 1580 e desde cedo sentia em seu coração o chamado que Deus lhe fazia. Com apenas 15 anos de idade, começou seus estudos para tornar-se padre e alguns anos depois, em 1602, foi admitido noviço da Companhia de Jesus, muito entusiasmado e motivado pelas cartas dos missionários jesuítas que contavam as realidades vividas na Ásia e na América. Nos anos seguintes, Pedro viveu significativas experiências de estudos e de convívio com outros companheiros que muito influenciaram sua caminhada, como o também santo jesuíta Afonso Rodrigues.

Em 1610, alguns anos após ter terminado a Filosofia, Claver pôde realizar um profundo desejo que morava em seu coração: servir a Deus através do serviço aos irmãos escravizados da América. Foi enviado em missão à Cartagena das Índias, na Colômbia. Lá chegando, indignou-se mais ainda com a realidade cruel que já sabia a que negros e negras eram submetidos. Seu trabalho foi doar-se em amor e respeito a estas pessoas e, mais ainda, dar-lhes preferência em relação aos livres. São Pedro Claver intercedia por eles junto a seus amos, socorria-os em suas necessidades materiais e amparava os doentes. Comunicava-lhes a fé em Cristo, dando, assim, um novo sentido às suas vidas. Assim, foi gastando sua vida, dia a dia, como “escravo dos escravos”. Duvidamos que, naquele tempo e naquelas circunstâncias históricas, alguém pudesse ter feito mais pelos oprimidos do que Claver fez.

Infelizmente, em 1654, devido a uma grave epidemia de peste, o incansável missionário jesuíta veio a falecer. Por tanta dedicação ao Reino, foi beatificado em 1851 pelo Papa Pio IX e canonizado em 1888 pelo Papa Leão XIII. Ainda hoje, nos países com histórico de escravidão, muitas são as marcas deste triste passado. Ainda há muito a se fazer para eliminar as desigualdades e o racismo tão presentes. Que São Pedro Claver interceda por nós para que sigamos, inspirados por ele, buscando o Reino de Deus e a sua justiça com muita coragem, até que todos e todas tenham vida em abundância. 

São Pedro Claver, rogai por nós!

 

Compartilhar
Twittar
+1