Irmã Dulce é santa!

em 14 de outubro de 2019 por MAGIS Brasil

“O motivo para agradecer hoje são os novos Santos, que caminharam na fé e agora invocamos como intercessores”, afirmou o Papa na cerimônica de canonização de Ir. Dulce.

A freira baiana agora é Santa Dulce dos Pobres. A celebração litúrgica com o rito da canonização, presidida por Papa Francisco, reuniu cerca de 50 mil pessoas na Praça São Pedro, na cidade do Vaticano, no dia de ontem (13). Com o “Anjo bom da Bahia”, foram canonizados também João Henrique Newman, Josefina Vannini, Maria Teresa Chiramel Mankidiyan e Margarida Bays.

A cerimônia teve início com o rito da canonização: o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Becciu, acompanhado dos postuladores, foi ao Santo Padre e pediu que se procedesse a canonização dos beatos. O Cardeal apresentou brevemente a biografia de cada um deles, que foram então declarados santos. Seguiu a ladainha dos santos e o Pontífice leu a fórmula de canonização. O prefeito da Congregação, sempre acompanhado dos postulares, agradeceu ao Santo Padre e o coral entoou o canto do Glória.

Estima-se que mais de 10 mil brasileiros estiveram presentes na Praça de São Pedro durante a missa. Dentre eles, o maestro de Salvador, José Maurício Moreira, que recebeu um milagre intercedido por Santa Dulce. Após 14 anos sem enxergar, José rogou para que Irmã Dulce ajudasse e ela intercedeu para que ele voltasse a enxergar. Depois da confirmação deste milagre, o Vaticano concluiu o processo de canonização da Irmã, que ocorreu neste domingo. O caso emblemático foi decisivo para a conclusão do processo de Irmã Dulce, segundo o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. “Saber que a minha santinha, a minha conterrânea, minha contemporânea, pessoa que a gente via andando pelas ruas de Salvador, fazendo só o bem, pode ser canonizada através do meu milagre, isso pra mim é de uma alegria, não dá para descrever”, comentou o maestro, direto do Vaticano, após a missa, onde também recebeu uma bênção direta do Papa Francisco.

Santa Dulce é primeira mulher nascida no Brasil a ser canonizada. O processo final de canonização se consolidou em maio deste ano, com o Decreto autorizado pelo Santo Padre reconhecendo o milagre atribuído à intercessão da Irmã. Dulce sempre desempenhou um serviço incondicional de assistência aos mais necessitados e marginalizados, intercedendo por mais Vida e Amor aos pobres. Atualmente, a Província dos Jesuítas no Brasil tem um projeto em parceria direta com o Hospital Santo Antônio, que se encontra em Salvador (BA) e foi fundado pela própria Irmã em 1983, onde os noviços jesuítas vivenciam a experiência de assistência aos enfermos.

Fonte: Vatican News

Compartilhar
Twittar
+1