Veja como foi o evento “Economia de Francisco”

em 24 de novembro de 2020 por MAGIS Brasil

De maneira totalmente virtual, envolvendo pessoas e instituições do mundo inteiro, aconteceu o evento sobre Economia de Francisco e Clara, na Basílica de São Francisco em Assis, na Itália, entre os dias 19 e 21 de novembro, com mais de dois mil empresários e estudantes de economia de todos os continentes. Convocado pelo Pontífice em maio de 2019, o evento teve que ser reprogramado e moldado com a vinda da pandemia, mas não deixou de impulsionar ideias e projetos que possam mudar a economia atual e atribuir alma à economia de amanhã, fazendo dela mais justa, fraterna, inclusiva e sustentável, sem deixar ninguém para trás.

Com três dias repletos de propostas, canções, vídeos com testemunhos e descrições de projetos que nasceram após o convite do Papa Francisco, o evento foi protagonizado por diversos jovens, fugindo do formato tradicional, apresentando o trabalho desenvolvido por 12 aldeias temáticas nos últimos meses para a preparação desta nova forma de economia.

Na Basílica presente o bispo de Assis, dom Domenico Sorrentino. Deu as boas-vindas aos jovens à cidade de São Francisco e disse que 800 anos antes, o então bispo Guido, tinha dado as mesmas boas-vindas ao Santo chamado ‘a juízo’, cujo centro era precisamente o dinheiro. Francisco considerava-o um instrumento para o bem de todos e especialmente dos últimos. Com a sua nudez, disse dom Sorrentino, ele escreveu o manifesto de uma nova economia. Este episódio representa o encontro entre a instituição e o carisma, ambos na escuta do Espírito Santo, que introduzia uma nova história.

Os dias do evento foram uma viagem de Assis ao mundo e do mundo a Assis. O abraço de Assis a todos os participantes vem através da prefeita da cidade, Stefania Proietti. O Papa pediu a vocês que coloquem a vida e a criação no centro da economia, e não o lucro, disse Proietti, e qual cidade poderia ser mais adequada. Vocês podem ser o motor do novo desenvolvimento. Frequentemente os jovens são relegados para um canto, assinala, o quanto vocês têm de lutar, por exemplo, para chamar a atenção dos adultos para a questão climática. Vocês podem quebrar o equilíbrio das desigualdades globais, disse novamente e observa como a pandemia mostrou como tudo está interligado, a propagação do vírus e a situação ambiental, por exemplo.

Você pode conferir como foi o primeiro dia de evento no vídeo abaixo:

Você pode conferir como foi o segundo dia de evento no vídeo abaixo:

Você pode conferir como foi o terceiro dia de evento no vídeo abaixo:

Com uma mensagem em vídeo, Papa Francisco encerrou no sábado (21) o evento. Num longo discurso, o Pontífice encorajou a juventude mundial a não ter medo de sujar as mãos, sem atalhos, para transformar a economia e, consequentemente, toda a sociedade. Disse para que depois da crise não voltemos a um consumismo febril, mas aproveitemos a oportunidade de nos colocar a serviço do bem comum.

“Para mim, este encontro virtual em Assis não é um ponto de chegada, mas o impulso inicial de um processo que somos convidados a viver como vocação, como cultura e como pacto.” (Papa Francisco)

O Pontífice agradeceu a participação numerosa e falou palavras de encorajamento aos jovens citando as encíclicas Laudato si e Fratelli tutti, mas também com referências a seus predecessores São Paulo VI, São João Paulo II e Bento XVI. Francisco deu voz à juventude que, como ele, é harmônica em afirmar que “precisamos e queremos uma mudança”, sem se deixar levar pela lógica do “sempre foi assim”. Hoje, as injustiças, as desigualdades, a exclusão não são mais toleradas. A cultura do descarte deve ter os seus dias contados. Ninguém tem o direito de se sentir “mais humano do que outro”.

Se é urgente encontrar respostas, é indispensável fazer crescer e apoiar grupos dirigentes capazes de elaborar cultura, iniciar processos – “não se esqueçam desta palavra: iniciar processos” – traçar percursos, alargar horizontes e criar pertenças. Para isso, é imprescindível mudar estilo de vida e os modelos de produção e consumo e retornar “à mística do bem comum”. “A fome não depende tanto da escassez material, mas da escassez de recursos sociais”, disse Francisco citando o Papa emérito.

Confira abaixo a mensagem completa do Papa Francisco para o evento Economia de Francisco:

 

Fonte: Vatican News / The Economy of Francesco

Compartilhar
Twittar
+1