Experiências MAGIS estão sendo vivenciadas em diversos lugares do país

em 20 de julho de 2018 por MAGIS Brasil

Voluntariado, peregrinação e espiritualidade inaciana são algumas das atividades propostas nas variadas Experiências que foram e serão realizadas nesse período de férias de julho. São jovens que atendem ao chamado de ir ao encontro do próximo e, consequentemente, se encarnar nas diferentes culturas e realidades brasileiras.

Em Vazantes, distrito de Aracoiaba, no Ceará, a Experiência MAGIS foi realizada em parceria com a Unicap (Universidade Católica do Pernambuco), e Fundação Fé e Alegria, onde os/as jovens vivenciaram o Voluntariado Universitário – VOU. Além de brasileiros, a Experiência teve a participação de estudantes da Universidade Pontifícia Comillas, Universidade Deusto e Universidade Ramon Llull, instituições espanholas.
Segundo João Elton de Jesus, SJ, Coordenador do Programa de Voluntariado da Unicap, “além de promover as oficinas (de criatividade, esportes, teatro, música e dança), os voluntários também aprenderão com a comunidade. Nas próximas semanas, brasileiros e espanhóis receberão aulas de Maracatu ministradas pelos alunos e professores de Fé e Alegria. Isso é importante pois mostra que todos podem aprender e ensinar, basta estar aberto e colocar a serviço os seus conhecimentos e habilidades”.
Na homilia de uma das missas da Experiência, o reitor da Unicap, Pe Pedro Rubens Ferreira, SJ ressaltou que o trabalho voluntário é uma experiência de liberdade, pois é uma doação livre sem esperar nada em troca. É também uma experiência de amor, que nasce do encontro com o outro, com o diferente.

Na capital do estado de São Paulo foi vivenciado o Caminho Inaciano, uma proposta de experimentar o modo de ser de Santo Inácio de Loyola, sobretudo em sua experiência de Manresa, com o crescimento do desejo de ajudar as pessoas, as experiências místicas e a peregrinação, levando em conta a realidade juvenil de partilha, afetos, projeto de vida.
Senti a presença de Deus nos olhares e ações de cada um, nos abraços das crianças, caminhos, risadas, orações e partilhas. (…) Fomos verdadeiramente acolhidos pelas irmãs responsáveis (da obra visitada) e também pelas crianças e adolescentes que frequentam o espaço. Era possível notar o olhar de carinho e gratidão nos rostinhos tão variados e vividos que ali estavam. Voltei para casa com o coração repleto de amor e vontade de fazer e ser cada vez mais para os que estão ou passam pela minha vida”, relatou a jovem Francielly Melo, que participou pela primeira vez da atividade.

Para a Ana Cecília Alves Pitombeira, em Russas, no Ceará, a Experiência a ensinou a ser mais persistente frente a situações diversas. “Eu nunca tinha ido ao lixão, e tive a oportunidade de conhecer. Quando eu vi aquela realidade nua e crua eu pude entender o motivo pelo qual eu me voluntariei, eu me senti inútil ao ver aquela cena e ao mesmo tempo senti uma vontade imensa de fazer a diferença, eu senti Deus naquele momento. (…) Aprendi a contemplar Deus nas nossas ações”, relatou a jovem, que esteve na atividade Experiência Catadores, em parceria com a Associação de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis de Russas (ACAMARRU). Nos dias de auxílio no serviço de separação dos materiais e rotas de coleta seletiva, os/as jovens puderam vivenciar como ser mais consciente e, também, como encontrar Deus no outro de maneiras inesperadas.

Em João Pessoa e Cabedelo, no estado da Paraíba, a juventude teve a vivência do Voluntário Universitário – VOU com a Unicap. Além da vivência comunitária, de momentos de reflexão e construção do projeto de vida, os/as jovens participaram de atividades com crianças em situação de vulnerabilidade na comunidade de Salinas, na periferia de Cabedelo.
Lá tiveram também aproximação e experiência com catadores de materiais recicláveis pelas ruas da capital paraibana. Nesse processo de convivência com os catadores, os voluntários puderam conhecer as histórias de vida de cada um e viver na pele o cotidiano dessas pessoas, muitas vezes, inseridas em um contexto de preconceito e invisibilidade social, mas ao mesmo tempo, com um lindo testemunho de vida. Para Ádelly Kalyne da Silva Oliveira, estudante de Letras, “foi uma experiência enriquecedora e de múltiplas descobertas, aprendi a ser Magis (mais) como um ser humano e me reconstruí como uma cidadã”.

E assim segue nossa juventude do MAGIS, entendendo que “o amor consiste mais em obras do que em palavras (Santo Inácio de Loyola).

Durante este mês ainda serão realizadas Experiências MAGIS em Santa Luzia (MG) e na Ilha do Marajó (PA). Em outubro acontece a Experiência Peregrinos do Círio, em Belém (PA).

Acompanhe as próximas Experiências deste ano e fique atento para as atividades de 2019 pelas redes sociais do MAGIS Brasil.

 


 

Texto, fotos e depoimentos: Espaço MAGIS Paraíba, Espaço MAGIS Pe. Fayos, Centro MAGIS Anchietanum
Matéria: Comunicação Nacional do MAGIS Brasil

Compartilhar
Twittar
+1