O Padroeiro da Juventude

em 21 de junho de 2019 por MAGIS Brasil

Um jovem muito valoroso e decidido, que teve a coragem de dizer “não” aos valores que seu ambiente lhe apresentava e de abraçar um modo de vida que o levou a imitar Cristo, dando sua vida pelos demais.

Luís Gonzaga nasceu no dia 9 de março de 1568, quando o inverno já quase se despedia na Itália, mais precisamente em Castiglione, na região da Lombardia. Futuramente, aquela criança que havia acabado de chegar ao mundo, aqueceria muitos corações e inspiraria muitas vidas, assim como a primavera que estava prestes a começar.

Utilizando a linguagem de hoje, podemos tranquilamente dizer que Luís foi uma daquelas pessoas que “nasce em berço de ouro”. Filho de Fernando Gonzaga, marquês de Castiglione, e de Marta Tana, dama de honra da Rainha Isabel de Valois, Luís Gonzaga começou sua história neste mundo inserido em um contexto de muito luxo e nobreza. O destino do menino já estava traçado como herdeiro do marquesado.

Porém, desde muito cedo ele compreendeu as contradições daquele ambiente em que vivia, permeado de incoerências, infidelidades, injustiças e mortes. Percebia que aquela realidade não era para ele, não satisfazia os anseios de seu jovem coração. Reflexo dessa sua prematuridade foi o voto de castidade que realizou com apenas 10 anos de idade em Florença, conforme relata ao seu confessor, Padre Roberto Bellarmino. Talvez, naquela idade não compreendesse todo significado daquela atitude, mas o certo é que seu aguçado “senso de Deus” o fazia querer renunciar à vida a qual ele estava predestinado.

Além do ambiente que frequentava na Itália, houve um momento de sua vida, aos 14 anos, em que Luís Gonzaga foi pajem do futuro rei da Espanha. Nessa ocasião, teve aulas com professores particulares e se destacou em ciências biológicas, matemática, filosofia e brilhou especialmente no aprendizado de idiomas: conhecia a gramática latina, o espanhol, o grego, o italiano, o francês, o alemão e o dialeto lombardo.

Para Dom Fernando Gonzaga, essas oportunidades da nobreza interessavam muito. Queria ver o filho seguir o mesmo caminho que o seu. Não à toa, houve muito conflito na família quando Luís expressou seu desejo de se tornar religioso. Em 1583, o garoto chegou até ser expulso de casa, porque seu pai não entendia sua vocação. Foi aí que Luís Gonzaga foi acolhido pelos jesuítas, o que fortaleceu ainda mais o projeto de vida que Deus havia pensado para ele.

Depois de muitos atritos e discordâncias, Dom Fernando percebeu que aquela era mesmo a vontade do filho e aceitou escrever uma carta à Companhia pedindo para que Luís fosse aceito na ordem, o que ocorreu no ano de 1585, quando estava com 17 anos. A partir daí, o jovem viveu experiências profundas de libertação e felicidade. Apesar de seu caráter reservado, era muito admirado por todos seus companheiros no Senhor.

Infelizmente, poucos anos depois, quando cursava o último ano de Teologia, uma peste invadiu a cidade de Roma, onde realizava seus estudos. A fome e a falta de higiene tornavam a situação ainda mais grave. Os jesuítas, assim como muitas outras pessoas de boa vontade, colaboraram improvisando hospitais, socorrendo os enfermos e enterrando os mortos. Com outros jovens estudantes, Luís ajudava no Hospital da Consolação. Ele não teve medo de estar com o povo e de acolher aqueles que mais necessitavam. Quando seus superiores acharam prudente afastá-lo dos enfermos mais contagiosos, já era tarde demais. No dia 3 de março de 1591, caiu ardendo em febre. Esteve uma semana entre a vida e a morte, mas depois se recuperou um pouco. Ficou, porém, uma febre permanente, acompanhada de dificuldades respiratórias. Seguiram-se três meses de um lento extinguir-se. Foi então no dia 21 de junho que faleceu serenamente, rodeado de seus companheiros e de seu confessor, o Padre Roberto Bellarmino.

Seu testemunho de vida foi tão intenso e bonito que em 1726 foi canonizado e posteriormente a Igreja o declarou Padroeiro da Juventude. Isto quer dizer que todos os jovens do mundo têm nele um modelo e um intercessor diante de Deus. Para os que lutam contra a corrente, para os que sabem dizer “não” a sociedades corruptas e decadentes, Luís Gonzaga tem muito a dizer. Hoje e amanhã. Aqui e em qualquer parte do mundo onde houver jovens que buscam a Verdade. São Luís Gonzaga, rogai por nós!

 

Abaixo você encontra um Momento de Oração inspirado na vida e missão de Luís Gonzaga.

 

Momento de oração

A vida de Luís Gonzaga foi marcada por muitas renúncias. Se quisesse, ele poderia ter esbanjado uma vida de riquezas e honrarias, mas isso não o preenchia. Abandonou um futuro de luxo e nobreza e deixou sua casa para atender ao chamado que o Senhor lhe fez. Inspirado/a pela história deste santo, traga presente neste momento de oração tudo aquilo que você precisa renunciar para acolher a vontade de Deus para a sua vida.

Pedido de Graça: Senhor, fazei com que eu tenha coragem de atender o Teu chamado em liberdade.

Texto Bíblico: Lc 14, 25-33

Provocações:

– No que a vida de Luís Gonzaga me inspira, em minha caminhada?

– Quais confortos preciso deixar para trás para realizar um projeto de vida alinhado com os sonhos de Deus para mim?

– Quais os sentimentos e atitudes de Luís Gonzaga mais me impressionam? Sinto-me identificado com eles? Quais eu desejaria ter?

Compartilhar
Twittar
+1