A pedagogia da transparência

em 9 de setembro de 2020 por MAGIS Brasil

“E o seu reino não terá fim” (Lc 1,33)

A palavra “transparência” suscita variadas facetas que tocam de cheio o nosso modo de ser e de proceder como educadores inacianos. Trata-se de um processo complexo muito relacionado com o fenômeno da comunicação. Tem a ver com a capacidade de conhecer-se a si mesmo e de comunicar aos outros a verdade de si mesmo.

Tomamos este conceito como aquela qualidade de uma pessoa que vive e se manifesta aos outros por atos e por palavras, de maneira que fica clara sua verdade, seu sentido de pertença à obra educativa e sua confiança nos demais membros da comunidade. A comunidade também entra em jogo, pois quando existe boa comunicação comunitária, quando se fala de coisas do coração, isto propicia um sentido de pertença e desejo de crescer com e para a comunidade.

Onde está sua comunidade?

A pessoa está motivada para isso a partir de seu trabalho pessoal dentro da missão global da humanidade e a partir de sua própria vida espiritual, e entende que sua transparência faz parte de sua resposta vocacional a Deus. A transparência, pois, afeta tanto à vida espiritual pessoal do educador, como a uma vida comunitária prazerosa e à missão apostólica, se esta quer ser eficaz.

A comunidade crescerá em harmonia e em bom ambiente na medida que haja relações fluídas, abertas e simples, que permitam a todos crescer na confiança mútua, a qual pressupõe, e ao mesmo tempo favorece, a transparência.

Transparente é um modo de ser, não só de falar

A transparência é uma condição para que possamos viver em contato com a “contemplação para alcançar amor”, para poder ver Deus presente e atuante em todos, e possamos nos ajudar mutuamente para ir a Ele, pelo fato mesmo de viver e trabalhar juntos e ser “amigos no Senhor”.

A transparência é algo mais estável e faz referência à luz, à vida interior, ao conhecimento próprio, ao desejo de deixar-se ver, à pureza de intenção, à simplicidade e a uma boa superação das afeições desordenadas, que geralmente ocultam segundos planos no fundo do coração. Por isso, o grande desafio para a transferência é o facilitar, no meio de nossa cultura acelerada e carregada de imagens, espaços sossegados para perceber o que o Espírito vai fazendo em nós. Se não sabemos o que nos acontece por dentro, dificilmente poderemos comunicar aos outros.

Uma vida interior cheia de luz

A transparência tem uma grande força testemunhal e profética e, nesse sentido, faz parte de nossa missão apostólica. Santo Inácio aposta na união dos ânimos como a melhor forma de manter coerente uma obra apostólica. Essa união requer transparência (pureza de alma e de intenção) e comunicação. Graças a isto, podemos estar uns em outros, próximos e unânimes, para realizar a missão, que sempre nos implica uns com os outros. Nossa missão contagiante deve levar-nos a ser não só colaboradores no trabalho apostólico, senão verdadeiras pessoas que são irmãs e amigas em Cristo.

Texto Bíblico  Lc 1, 26-39

 

# Clique aqui e faça o download da versão para impressão desta reflexão
Veja também a reflexão de semana passada

 

Compartilhar
Twittar
+1