Semana de Oração pelas Vocações Jesuítas (Dia 2)

em 2 de novembro de 2017 por MAGIS Brasil

Francisco nos diz …

Em que contextos são gerados os frutos das vocações de vida consagradas? Certamente em ambientes cheios de contradições, de contrastes, de situações vinculares complexas. Preferiríamos contar com um mundo, com famílias e vínculos mais planos, mas somos parte desta época de transição, desta crise cultural, e no meio dela, contando com ela, Deus segue chamando.

Não me venham com a história de que: não, lógico, não há tantas vocações para a vida consagrada porque, claro, com essa crise em que vivemos… Sabem o que é isso? Um conto chinês. Ainda no meio desta crise, Deus segue chamando…

Seria quase ilusório pensar que todos vocês escutaram o chamado de Deus em meio a famílias sustentadas por forte amor e cheias de valores como a generosidade, o compromisso, a fidelidade ou a paciência (cf. Amoris Laetitia, 5). Algumas, queira Deus que muitas, sejam assim. Mas ter os pés no chão significa reconhecer que nossos processos vocacionais, que o despertar do chamado de Deus, se encontra mais perto daquilo que já revelava a Palavra de Deus, e que a América Latina e o Caribe tanto compreendem: “Uma trilha de sofrimento e de sangue […] a violência fratricida de Caim sobre Abel e os divórcios entre os filhos e entre as esposas dos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó, chegando pois às tragédias que enchem de sangue a família de Davi, até as múltiplas dificuldades familiares que fragmentam a narrativa de Tobias ou a amarga confissão de Jó abandonado” (Ibid, 20). Desde do início foi assim: não pensem na situação ideal, pois esta é a situação real. Deus manifesta sua proximidade e sua escolha onde quer, no solo de Sua preferência, da maneira como esteja no momento, com as contradições concretas, como Ele quer. Ele muda o curso dos acontecimentos, para chamar homens e mulheres em meio à fragilidade da história pessoal e comunitária. Não tenhamos medo deste chão complexo.

Na noite passada, uma menina com deficiência, do grupo que me deu as boas-vindas na Nunciatura, falou que o núcleo do humano está na vulnerabilidade, enquanto explicava o porquê. Me ocorreu lhe perguntar: todos somos vulneráveis, sim, todos, mas há alguém que não seja? Ela me respondeu: Deus! Mas Deus quis fazer-se vulnerável e quis sair para caminhar conosco, preferiu partir, para viver nossa história tal como era; desejou fazer-se homem em meio à uma contradição, frente à algo incompreensível, com a aceitação de uma moça que não compreendia e de um homem justo, que seguiu o que lhe foi mandado. Mas tudo isso em meio a contradição.

Todos temos que estar atentos para que cada galho sirva para o que foi pensado: dar frutos. Desde do início, os que acompanham os processos vocacionais, terão que motivar a intenção honesta, um desejo autêntico de configurar-se com Jesus, o pastor, o amigo, o esposo. Quando os processos não são alimentados por esta seiva vital verdadeira que é o Espirito de Jesus, então fazemos experiência da secura, e

Deus descobre, com tristeza, aqueles galhos já mortos.

As vocações para vida religiosa e consagrada morrem quando querem se nutrir de honras, quando são impulsionadas pela busca de uma tranquilidade pessoal e de promoção social, quando a motivação é “subir de categoria”, apegar-se a interesses materiais, que chega inclusive a infâmia da ambição pelo lucro. Como já disse em outras ocasiões, e vou repetir como algo que é verdadeiro e certo: o diabo entra pelo bolso. Isso não é próprio somente dos iniciantes, mas todos nós temos que estar atentos, porque a corrupção nos homens e mulheres que estão na Igreja começa assim: pouco a pouco, e logo — como nos disse Jesus— se enraíza no coração e acaba desalojando à Deus da nossa própria vida.

Provocações

1. Em qual contexto me senti chamado e convidado por Deus para segui-lo, a partir da vida religiosa, como Jesuíta?
2. A partir de que pessoas, encontros e atividades experimentei o chamado de Deus, para segui-lo e para estar em sua Companhia?
3. Experimento minhas vulnerabilidades? Sou capaz de acolhê-las e aceitá-las com realismo e misericórdia?
4. Me exponho à realidade do mundo de hoje? Saio pelas ruas para acompanhar os jovens em sua história?
5. Como posso motivar, nos jovens, a reta e honesta intenção, o desejo autêntico de configurarem-se junto à Jesus?

Preces

Com esta oração, nos unimos a tantas famílias, comunidades juvenis de inspiração inaciana, jesuítas e religiosas que hoje pedem pelas vocações para a Companhia de Jesus. Que possamos nos unir a, cada pedido, dizendo:

R/. Envia, Senhor, vocações à tua Companhia.

– Peçamos ao Senhor por todos os jovens, para que possam aprofundar-se, na experiência de Deus e de Jesus Cristo e, para que possam oferecer suas vidas, generosamente, àquela missão que Jesus queira confiar-lhes. Por isso pedimos. R/.

– Peçamos ao Senhor pelos candidatos à Companhia de Jesus, para que o Senhor confirme, ao longo de seus processos de discernimento, o caminho por onde devem servir. Por isso pedimos. R/.

– Peçamos ao Senhor pelos noviços jesuítas na América Latina e Caribe, que realizam seu primeiro ano de noviciado, para que experimentem existencialmente a vocação como fruto de uma eleição fundamental em suas vidas. Por isso pedimos. R/.

– Peçamos ao Senhor pelos noviços Jesuítas de segundo ano, para que o Senhor lhes confirme em suas eleições e para que possam oferecer suas vidas a Deus, através dos votos religiosos de pobreza, castidade e obediência. Por isso pedimos. R/.

– Peçamos ao Senhor por todos nós, para que o desejo de abraçar perpetuamente a pobreza, a castidade e a obediência como testemunho e anúncio profético do Reino de Deus, presente no mundo, possa se fazer explícito através da vivência do serviço e da alegria de nossa identidade religiosa. Por isso pedimos. R/.

Acolhe, Senhor, estas súplicas que te apresentamos com fé e devoção e, concede-nos ser fiéis companheiros seus na construção do Reino.

Por Jesus Cristo Senhor Nosso. Amém.

Oração final

Deus da vida, inspira nos corações dos jovens o desejo de seguir-te, para enriquecerem a tua Igreja com sua energia e alegria. Derrama sobre eles teu Espírito, para que possam oferecer suas vidas, generosamente, ao serviço do teu Reino. Te pedimos para que, aqueles que desejem seguir-te a partir da vida religiosa junto aos Jesuítas, possam encontrar, em tua mínima Companhia, o lugar onde seus talentos sejam colocados a serviço do mundo. Por Jesus Cristo Senhor Nosso. Amém.


Oração: Província dos Jesuítas da Colômbia | Tradução: Centro MAGIS Anchietanum

Compartilhar
Twittar
+1