“Foi esta a maior fadiga e trabalho corporal que jamais suportou, mas por fim conseguiu sair da aflição” (Autobiografia, 91).

Escrito por Gustavo Xavier

Aqui são partilhados momentos especialmente duros do caminho de Gênova a Bolonha e da chegada a Bolonha. Inácio se perde no caminho e decide seguir, do alto, um rio que esculpe um vale bem profundo. O caminho se torna muito estreito, impossibilitando o retorno ou mesmo o avanço, a menos que se caminhasse “de gatas”. Inácio pensou várias vezes que cairia no rio. Nosso peregrino ainda levou um tombo de uma ponte que o levaria a seu destino, teve dificuldades para conseguir esmolas em Bolonha e ainda ficou doente! Ao completar seu tempo na cidade, seguiu para Veneza.

Medo, fadiga, doença e dificuldade são palavras que podemos associar a este fragmento da autobiografia. Contudo, a atitude de Inácio é de coragem e perseverança, mesmo estando perdido e com medo de cair no curso d’água que acompanhava. Ainda se narra que quando ele se levanta da queda da pequena ponte de madeira, cheio de lama e água, sua situação fez muitos dos presentes rirem. Será que ele próprio não teria achado graça de semelhante constrangimento, mesmo que só algum tempo depois? Apesar de não conseguir “sequer um quartim¹”, o peregrino esmolou por toda a cidade e, em sua convalescença, encontrou acolhida no Colégio Maior de São Clemente dos espanhóis, onde foi recebido por alguns conhecidos.

Nos momentos de nossas vidas onde suportamos as maiores fadigas, como conseguimos sair das aflições? Em quais atitudes que cultivamos encontramos força? Com quais atitudes agravamos as dificuldades? Conseguimos alargar nossa perspectiva da situação a ponto perceber graça ou mesmo rir dos nossos próprios tombos? A certeza do caminho que elegemos nos leva a perseverar quando os frutos são escassos? Reconhecemos a graça de Deus presente em quem nos oferece suporte?

Podemos fazer memória de algum momento de nossa vida que tenha sido especialmente exaustivo, seja particular ou comunitário. Um que tenhamos suportado. Contemplar os caminhos estreitos à beira de precipícios, tombos, lama, escassez e enfermidade. O que nos moveu a atravessar obstáculos? Qual foi nosso Colégio Maior de São Clemente dos espanhóis que nos amparou e onde fomos cuidados?

Texto Bíblico: Jr 17, 5-8

Em quem tenho depositado minha confiança?

#Clique aqui e faça o download da versão para impressão desta reflexão.
Veja também a última reflexão.


¹     Moedinha de pouco valor.

Compartilhar.

Deixe uma resposta